Terapia Ocupacional

Terapia Ocupacional

O envelhecimento populacional aumenta a cada ano, estima-se que em 2050, seremos a 6ª população mundial em idosos, simultaneamente a esse quadro, verificaremos idosos com maior dependência para realizar as tarefas do dia-a-dia, tais como as Atividades Básicas da Vida Diária (alimentar-se, vestir-se, tomar banho, higienizar-se, continência, transferências e mobilidade), as Atividades Instrumentais da Vida Diária (utilizar o telefone, fazer compras, administrar finanças, usar transporte, realizar tarefas domésticas e preparar as refeições) e as Atividades Avançadas da Vida Diária (realizar atividades manuais e intelectuais, participar de eventos sociais, praticar atividades voluntárias e religiosas, entre outros).

Na busca por maior autonomia, independência e bem-estar do idoso, a Terapia Ocupacional, utiliza como recurso terapêutico a atividade em seus variados contextos, de acordo com as preferências, habilidades, limitações e história de vida apresentada por cada idoso. Através do levantamento biográfico, é possível verificar tais necessidades e possibilidades do fazer e que podem ser realizadas individualmente ou em grupo.

Por meio da atividade podemos vivenciar histórias, que são importantes para a saúde do idoso, seja no resgate desses papéis ou na criação de novos sentidos e significados das experiências vividas.

A cada encontro durante a realização das atividades, ocorrem às trocas sociais, a comunicação, o crescimento pessoal, autonomia e se rompe o isolamento, ampliando o viver, tornando-o mais feliz e significativo.

As atividades terapêuticas envolvem os aspectos motores, sensoriais, cognitivos e podem ser estimulados, através da pintura, do canto, música, leitura, memória, jogos, culinária, atuando na funcionalidade do idoso, no desenvolvimento de movimentos, na coordenação motora, na atenção e concentração.

A atividade é um recurso terapêutico importante para essa fase da vida, pois evitam o isolamento, a inatividade, ampliando-se a possibilidade de aprender e construir novas formas de fazer, além de manter, restaurar e/ou melhorar a capacidade funcional do idoso, preservando o maior tempo possível sua independência e autonomia.

 

Terapeuta Ocupacional Dra. Ana Lúcia Alves.

CREFITO-3/10733-T.O.