Reabilitação Cognitiva em Idosos

Reabilitação Cognitiva em Idosos

A reabilitação cognitiva é uma intervenção multidisciplinar que objetiva eliminar ou atenuar déficits cognitivos, alterações comportamentais e melhorar a capacidade do indivíduo para processar e utilizar a informação.

É destinada a adultos ou idosos, saudáveis, com comprometimento leve, com quadro demencial em fase inicial ou adiantada, com alto ou baixo nível de escolaridade.

Do ponto de vista biológico, o envelhecimento se associa a uma série de mudanças fisiológicas, que apesar de representar uma alteração do funcionamento anterior, não significa, necessariamente, alterações patológicas.

Existem diversas queixas e alterações cognitivas nos idosos que são normais do processo de envelhecimento e o limite entre o patológico é tênue.

Em idosos com alterações cognitivas patológicas, como a Doença de Alzheimer é importante a associação entre terapia medicamentosa e a reabilitação cognitiva para melhores resultados.

Diversas estratégias têm sido utilizadas no processo de reabilitação, que estimulem diferentes funções cognitivas como memória, linguagem, função executiva, entre outras.

O processo terapêutico é definido de acordo com o perfil cognitivo e cultural da pessoa e diferentes técnicas existentes como o treinamento cognitivo e a adaptação do ambiente podem ser utilizados durante a intervenção.

O treinamento cognitivo visa melhorar a utilização da memória, com repetição, treinamento, estratégias de aprendizagem e compensatórias. A terapia de reminiscência e de orientação para a realidade também podem ser utilizadas.

A reestruturação ou adaptação do ambiente são importantes, para oferecer segurança, promover maior independência funcional, além do bem-estar da pessoa. Durante a avaliação é importante às observações dos familiares, cuidadores e do idoso, para sua melhor orientação.

A perspectiva de uma maior longevidade nos traz o desafio de dar melhores condições para que o idoso possa viver dignamente, com saúde e maior independência possível, o treinamento cognitivo e a reestruturação do ambiente estão entre as principais técnicas para manter e/ou melhorar o desempenho cognitivo da pessoa idosa.

É de extrema importância o enriquecimento do cotidiano, com atividades diversas e significativas, pois podem contribuir para o bem-estar da pessoa e aumentar a sua reserva cognitiva postergando ou contribuindo para evitar um maior comprometimento cognitivo.

Ana Lúcia Alves – Terapeuta Ocupacional – CREFITO-3/10733-TO

Vyvyanne Bitencourt Pazzini – Gerontóloga