Doença de Parkinson

Doença de Parkinson

A doença de Parkinson é uma doença degenerativa que afeta os movimentos e atinge entre 1 e 2% dos brasileiros acima dos 60 anos. Há uma perspectiva de um aumento dessa porcentagem conforme aumentamos a longevidade da população.

Muitas pessoas associam a doença de Parkinson apenas ao tremor, porém o assunto é bem mais complexo. Existem várias formas da doença de Parkinson, inclusive sem a presença desse sintoma, e nem toda pessoa portadora de tremor tem ou terá doença de Parkinson.

Os médicos costumam chamar de “parkinsonismo” o termo genérico para uma série de condições que englobam os seguintes sinais e sintomas: lentidão nos movimentos, rigidez, tremor de repouso e instabilidade de marcha. O primeiro passo para o diagnóstico da doença de Parkinson depende, portanto, de um bom exame clínico para identificação da presença desses sintomas e da exclusão de outras causas que se manifestam de forma semelhante.

Além disso, sintomas não motores como a dificuldade de reconhecimento de odores, alterações no sono, na função intestinal e a presença de depressão podem ajudar ao médico no diagnóstico, que é essencialmente clínico.

A gênese do problema está na deficiência de uma substância chamada dopamina e o tratamento medicamentoso envolve basicamente a tentativa de sua reposição. Uma boa equipe interdisciplinar composta principalmente pela fonoaudiologia, fisioterapia, enfermagem, nutrição, psicologia e terapia ocupacional associada ao geriatra ou neurologista é essencial para a construção de um plano de cuidado integral que objetive reduzir o impacto da doença no dia a dia e promova qualidade de vida para o paciente e sua família.

Dr. Tomaz Aquino – Geriatra

CRM 157.962