Expectativa de vida no Brasil

Expectativa de vida no Brasil

Uma das maiores conquistas culturais de um povo é o envelhecimento de sua população, refletindo uma melhoria das condições de vida. De acordo com projeções da Organização Mundial de Saúde (OMS), “uma em cada 9 pessoas no mundo tem 60 anos ou mais, e estima-se um crescimento para 1 em cada 5 por volta de 2050”.

No último Censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os idosos passaram a representar 10,8% do povo brasileiro, ou seja, mais de 20,5 milhões de pessoas possuem mais de 60 anos.

Em 2050 pela primeira vez haverá mais idosos que crianças menores de 15 anos.

O envelhecimento é reflexo do mais baixo crescimento populacional aliado a menores taxas de natalidade e fecundidade, e aos avanços tecnológicos da medicina.

Com essa nova realidade tornaram-se prementes assuntos até então não discutidos como a manutenção da autonomia, acesso a informações, serviços, segurança e saúde preventiva, visando um envelhecimento bem-sucedido.

No universo de saúde dos idosos, a ausência de doenças é privilégio de poucos, e o completo bem-estar pode ser atingido por muitos, independentemente da presença ou não de doenças.

Há uma necessidade premente de métodos inovadores e criativos, que possam contribuir para uma atenção ao idoso, em bases humanísticas e, ao mesmo tempo, compatíveis com a realidade socioeconômica do país.

Infelizmente, nosso país ainda não está preparado para atender adequadamente às demandas dessa população, devemos focar nossos esforços em proporcionar uma melhora na qualidade de vida dos idosos através de formação de profissionais especializados no envelhecimento, na incrementação de políticas públicas de promoção e proteção a saúde e infraestrutura adequada para o atendimento integral ao idoso.

Nosso grande desafio: VIVER MAIS E MELHOR.

Psic. Roberta Seriacopi

Ft. Renata Firpo